Publicado em 17/07/2019 às 13h54.

Governo espera voto contrário de Wagner à indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

Otto Alencar já declarou posição contrária à articulação do governo em votação na Comissão de Relações Exteriores do Senado

Redação
Foto: Pedro França/Agência Senado
Foto: Pedro França/Agência Senado

 

O governo conta com um placar apertado na Comissão de Relações Exteriores do Senado pela aprovação do nome de Eduardo Bolsonaro (PSL) como embaixador do Brasil em Washington, nos Estados Unidos.

A comissão é responsável pela sabatina ao indicado do presidente, além de votar pela aprovação ou não do seu nome. Independente do resultado, a votação no colegiado precisa ser confirmada em plenário.

Segundo reportagem do jornal Estado de Minas, o governo já enfrenta cinco votos contrários. São eles os de Jaques Wagner (PT), Renilde Bulhões (Pros-AL), Kátia Abreu (PDT-TO), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Marcos do Val (Cidadania-ES).

O senador Otto Alencar (PSD) foi um dos primeiros a externar seu voto: ele se colocará contra a indicação.

Já o outro baiano que faz parte da comissão, Angelo Coronel (PSD), voltou a não descartar votar a favor do governo, em entrevista à Veja nesta quarta-feira (17).

“Ser filho do presidente, falar inglês, fazer hambúrguer e ser amigo da família Trump não são predicados pra assumir importante cargo em detrimento de outros nomes de carreira, gabaritados. Ele terá que mostrar o seu currículo e sua capacidade pra sua indicação ser aprovada. Está parecendo capricho do pai querendo agradar o filho”, avaliou.

PUBLICIDADE