Publicado em 11/07/2019 às 15h17.

Jogar filiados às feras é oportunismo, diz FHC após Covas cobrar saída de Aécio

Aliados do parlamentar mineiro acusam a ala paulista do PSDB de querer instalar um “tribunal de exceção”

Redação
Foto: Divulgação/Rede Globo
Foto: Divulgação/Rede Globo

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) defendeu, em publicação nas redes sociais, que “jogar filiados às feras” é oportunismo, um dia após o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, condicionar sua permanência no partido à expulsão do deputado federal Aécio Neves.

Sem citar o ex-senador nominalmente, FHC disse que a sigla tem um estatuto e uma comissão de ética e “há que respeitá-los”.

“Jogar filiados às feras, principalmente quem dele foi presidente, sem esperar decisão da Justiça, é oportunismo sem grandeza. Não redime erros cometidos nem devolve confiança”, afirmou o ex-presidente.

Na quarta-feira (10), Covas ameaçou deixar a legenda caso Aécio não seja expulso. “Ou eu ou ele”, resumiu.

A declaração do vice-prefeito da capital paulista gerou incômodo entre aliados do parlamentar mineiro, que acusam a ala paulista do partido de querer instalar um “tribunal de exceção”.

“Espero que o bom senso prevaleça e que todo e qualquer membro do partido que porventura venha a ser objeto de questionamento ético tenha respeitado seu direito de defesa no conselho de ética do partido”, declarou o deputado Paulo Abi-Ackel, presidente do diretório estadual do PSDB em Minas Gerais.

Em maio, durante sua convenção nacional, o PSDB aprovou um novo código de ética e disciplina para segundo o qual um filiado pode ser expulso depois de finalizado todo o rito no conselho de ética.

PUBLICIDADE

Mais notícias