Publicado em 12/12/2019 às 15h16.

Joice tira ‘tropa de choque’ de Bolsonaro da CPMI das Fake News

Decisão de excluir Filipe Barros (PR), Caroline de Toni (SC), Carla Zambelli (SP) e Carlos Jordy (RJ) foi protocolada em ofício encaminhado nesta quarta-feira (11) ao colegiado

Redação
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

A deputada Joice Hasselmann, nova líder do PSL na Câmara, excluiu da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News os parlamentares da sigla ligados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que deixou o partido após queda de braço com o presidente da legenda, o deputado Luciano Bivar (PSL-PE).

A decisão de excluir os deputados bolsonaristas da comissão – Filipe Barros (PR), Caroline de Toni (SC), Carla Zambelli (SP) e Carlos Jordy (RJ) – foi protocolada em ofício encaminhado nesta quarta-feira (11) ao colegiado.

Os parlamentares, que atuam como uma espécie de “tropa de choque” do presidente na CPMI, rivalizaram com Joice quando a deputada prestou depoimento na CPMI, no último dia 4.

Na ocasião, a parlamentar acusou o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o chamado “gabinete do ódio” – formado por assessores parlamentares e mantido com dinheiro público – de liderarem ataques virtuais contra pessoas tidas como inimigas da família Bolsonaro.

Para o lugar do quarteto, a líder do PSL colocou quatro deputados próximos a ela e a Luciano Bivar: Delegado Waldir (GO), Nereu Crispim (RS), Professora Dayane Pimentel (BA) e Julian Lemos (PB).

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou recentemente que a CPMI funcionará até abril de 2020.

PUBLICIDADE