Publicado em 05/04/2017 às 13h30.

Novato, Roberto Muniz é o nono em gastos no Senado em 2017

Otto Alencar (PSD) gastou quase a metade do conterrâneo; Lídice da Mata (PSB) se aproximou: R$ 81,9 mil em três meses

João Brandão
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

 

O baiano Roberto Muniz (PP) foi o nono senador que mais gastou no primeiro trimestre de 2017. De acordo com o levantamento feito pelo bahia.ba, o congressista utilizou recursos da ordem de R$ 94,6 mil da verba indenizatória entre janeiro e março deste ano.

Entre os 10 mais “gastadores”, o pepista é o mais novo – assumiu o mandato no dia 6 de junho de 2016, em lugar de Walter Pinheiro (sem partido), que trocou o Congresso pela Secretaria Estadual de Educação logo depois de deixar o PT.

O campeão em despesas é Omar Aziz (PSD-AM), com custo de R$ 129,5 mil.

Confira abaixo a lista completa:

1. Omar Aziz (PSD-AM) – 129.543,56;
2. Humberto Costa (PT-PE) – R$ 127.716,22;
3. Eduardo Braga (PMDB-AM) – R$ 124.207,19;
4. José Medeiros (PSD-MT) – R$ 115.455,71;
5. Ciro Nogueira (PP-PI) – R$ 101.608,33;
6. José Pimentel (PT-CE) – R$ 113.641,04;
7. Pedro Chaves (PSC-MS) – R$ 100.002,69;
8. Roberto Rocha (PSB-MA)– R$ 99.939,83;
9. Roberto Muniz (PP-BA) – R$ 94,669,51;
10. Antonio Anastasia (PSDB-MG) – R$ 93,616,75.

Baianos – O maior custo de Muniz é com passagens. Só com bilhetes de viagens, ele gastou com dinheiro público R$ 35,5 mil. Em seguida vem aluguel de imóveis para escritório político: R$ 24,2 mil.

Em outro patamar, o conterrâneo Otto Alencar (PSD-BA) provocou uma despesa de R$ 48,9 mil à Casa – quase metade do montante gasto pelo pepista. Já a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) usou R$ 81,9 mil no primeiro trimestre. A maior parte foi destinada a serviços de correios, R$ 26,8 mil, além de aluguel de imóveis: R$ 22,6 mil.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.