Publicado em 17/06/2019 às 19h40.

Otto e Coronel divergem sobre decreto das armas de Jair Bolsonaro

Conterrâneos e correligionários, Ângelo Coronel e Otto Alencar votaram diferente na Comissão de Constituição e Justiça do Senado

Breno Cunha
Fotos: Agência Senado
Fotos: Agência Senado

 

O plenário do Senado deve decidir nesta terça-feira (18) sobre a suspensão do Decreto 9.785/2019, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, que flexibiliza o uso de armas no país.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa já deu parecer pela suspensão da proposta e este indicou uma divergência entre Otto Alencar e Angelo Coronel, do PSD.

Ambos são integrantes da CCJ e na semana passada ficaram em lados opostos na votação. Enquanto Otto optou pela suspensão do decreto que facilita o acesso ao porte de armas, Coronel se colocou a favor da proposta de Bolsonaro.

Ao bahia.ba, Otto disse que “vai votar para sustar o decreto de Bolsonaro”. “Acho que temos maioria contra o decreto do presidente, porque ele é inconstitucional. Ele não poderia editar um decreto existindo um Estatuto do Desarmamento aprovado pelo Congresso. alem disso sou contra o uso indiscriminado de armas”, explicou.

Sobre a divergência com Coronel, Otto minimizou e aproveitou para alfinetar o atual presidente: “Isso é normal, eu não sou o Bolsonaro que acha que todo mundo tem que pensar igual a ele. Eu sou um democrata, cada um pensa do jeito que quiser”.

Na semana passada, em contato com o bahia.ba, o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) disse que é a favor da posse de armas, como forma de “proteção à propriedade privada”.

“Eu sou a favor do uso das armas pra proteger as propriedades, fazendas, postos de combustíveis, caminhoneiros, comércio e geral. Mas eu sou contra o porte, não concordo com o cidadão sair armado pelas ruas”, falou.

Segundo Coronel, apesar de ter se colocado contra, ele irá propor mudanças no decreto assinado por Bolsonaro nesta terça, em Plenário. “Tentaremos fazer esse ajuste”, pontuou, se referindo à liberação do porte.

PUBLICIDADE