Publicado em 02/04/2020 às 20h00.

Equador vive colapso funerário e famílias convivem com cadáveres por dias

Em alguns casos, corpos são levados para lugares públicos por familiares

Redação
Foto: Governo da China/Fotos Públicas
Foto: Governo da China/Fotos Públicas

 

Guayaquil, a segunda cidade mais importante do Equador, vive um colapso nos hospitais e necrotérios. Os equipamentos estão cheios de corpos de vítimas do novo coronavírus, causador da Covid-19.

Com isso, segundo reportagem da Folha de S. Paulo, famílias têm de conviver durante dias com cadáveres de parentes mortos não só pelo coronavírus, mas também outras causas. Os corpos permanecem nas residências até que funcionários da prefeitura os retirem.

Nos casos ligados ao coronavírus, por medo de contágio, alguns têm levado os cadáveres para parques e outras áreas públicas do município.

“O sistema de saúde equatoriano tem muitos problemas, especialmente na região litorânea [onde está Guayaquil]”, afirmou o jornalista e analista político Martín Pallares, à Folha, por telefone.

“Ouvimos relatos de médicos que não querem trabalhar nessas áreas porque não há equipamento para evitar a contaminação.”

A situação no país, ainda segundo reportagem, começou a se agravar em meados de março.

PUBLICIDADE