Publicado em 07/01/2021 às 13h32.

Governo de São Paulo pede uso emergencial da CoronaVac à Anvisa

"São Paulo cooperando para salvar vidas”, disse o governador João Doria

Redação
Foto: Divulgação/ Governo de São Paulo
Foto: Divulgação/ Governo de São Paulo

 

O governo do Estado de São Paulo e o Instituto Butantan pediram o uso emergencial da vacina Coronavac, produzida pelo instituo paulista em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotec, à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O evento na tarde desta quinta-feira (7) também contou com o anúncio da eficácia do imunizante, que atingiu  78% de taxa de sucesso na contenção do vírus em casos leves da doença.

De acordo com o portal IG, após o pedido, a Anvisa tem 10 dias para aprovar ou recusar o início imediato da vacinação em São Paulo. O governo paulista estima iniciar a campanha de imunização no estado no dia 25 de janeiro, data do aniversário da cidade de São Paulo. No entanto, a medida pode ser antecipada, caso a agência reguladora aprove o uso emergencial.

“Hoje pela manhã o Instituto Butantan e o governo de São Paulo iniciaram o pedido de uso de utilização emergencial junto à Anvisa. O objetivo é iniciar a vacinação de São Paulo no dia 25 de janeiro, conforme programado. E o objetivo, também, do governo do Estado de São Paulo é fornecer a vacina do Instituto Butantan para todo o Brasil por meio do Ministério da Saúde. São Paulo cooperando para salvar vidas. É um momento histórico que nos orgulha. Hoje é o dia da esperança, hoje é o dia da vida”, disse o governador João Doria em entrevista coletiva na sede do Instituto Butantan.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.