Publicado em 04/04/2021 às 18h30.

Prefeito de BH recua e suspende fiscalização em cultos

'Por mais que doa no coração de quem defende a vida, ordem judicial se cumpre', afirma Alexandre Kalil

Adriano Villela
Foto: divulgação/Amira Hissa
Foto: divulgação/Amira Hissa

 

Depois de sinalizar que não atenderia à liminar do Supremo permitindo cultos e missas no Domingo de Páscoa, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). “Por mais que doa no coração de quem defende a vida, ordem judicial se cumpre”, disse, no Twitter.

No sábado, o ministro Kassio Nunes Marques concedeu a liminar autorizando atos religiosos neste domingo e proibindo decretes estaduais e municipais restringindo atividades religiosas em razão do combate à Covid-19. Mais cedo, Kalil informou que ficaria com a decisão do pleno do STF reconhecendo a competência legal de estados e municípios decretarem medidas sanitárias.

A decisão de Nunes Marques, mais novo integrante do Supremo, gerou críticas do decano, ministro Marcos Aurélio Mello e da Frente Nacional de Prefeitos, que também alegou o entendimento do pleno da Suprema Corte.

 

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.