Publicado em 07/05/2020 às 18h20.

Prefeitura anuncia restrições de atividades e mobilidade mais amplas em três regiões

Governo estadual e município criaram auxílio e unidade de acolhimento para pacientes com vírus ativos; ACM Neto nega lockdown

Adriano Villela
Foto: Max Haack/SecomPMS
Foto: Max Haack/SecomPMS

 

Regiões do centro da cidade (Avenida Sete e Joana Angélica), Plataforma e Boca do Rio terão suspensão de atividades e mobilidade mais amplas a partir de sábado (9).  Apenas supermercados, farmácias, bancos e lotéricas poderão abrir a porta, enquanto o trânsito ficará restrito a moradores, transporte público e delivery. As medidas foram anunciadas em coletiva online na tarde desta quinta-feira (7), pelo prefeito ACM Neto.

O gestor da capital descartou que as medidas se configurem como um ‘lockdown’ setorizado. “Lockdown implica em você impedir a circulação de pessoas nas ruas. Não haverá proibição de as pessoas circularem. Não há a obrigação das pessoas se manterem em casa. Isso não está sendo cogitado no momento”, declarou. Por outro lado, ACM Neto frisou que as medidas anunciadas nesta quinta-feira valem por sete dias, mas podem ser renovadas ou ampliadas para outras regiões da cidade.

Segundo o prefeito, a atuação na Joana Angélica, Plataforma e Boca do Rio inclui ações de proteção social. São elas: distribuição de cestas básicas a feirantes e ambulantes – mesmo que receba outro benefício -, fornecimento em massa de máscaras, aplicação de testes rápidos/medição de temperatura; higienização da área pública e ações de prevenção ao aedes aegypit.

Unidade de acolhimento

Também no campo da proteção social, o governador Rui Costa anunciou a criação de unidades de acolhimentos para vítimas do novo coronavírus. O gestor estadual participou da coletiva, na qual reforçou a ação conjunta do Estado com as prefeituras no combate ao novo coronavíros.  Rui explicou que estes espaços serão estruturados para receber pacientes que ainda estejam com o vírus ativo.

Junto com o acompanhamento médico, os internados receberão um auxílio de R$ 500. Projeto de lei será encaminhado à Assembleia Legislativa para criar este benefício. “Na Bahia, temos 3 mil pessoas com vírus ativos. Não estão curadas. São essas pessoas que mantém o virús circulando, ativo”, esclareceu o governador.

O auxílio terá um limite de mil beneficiários por município ou o número de pessoas com vírus ativos em cada cidade. Além da capital, cidades com maior número de casos devem ser contemplados, em articulação com cada prefeito. Em Salvador, a prefeitura vai assumir metade do incentivo. As unidades de acolhimento da capital funcionarão no Parque de Exposições e no Rio Vermelho, no prédio da faculdade Ruy Barbosa.

Acompanhamento

Na coletiva, ACM Neto fez uma apresentação das três áreas que terão restrições aumentadas. O município vem monitorando diariamente número de veículos circulando, quantidade de pessoas que transportam e total de pessoas circulando em cada região. A Joana Angélica, segundo o prefeito, tem influência da Estação da Lapa. Como equipamento de transporte público, a Lapa vai continuar aberta, mas ambulantes, feirantes, comércio-  mesmo em lojas de menos de 200 metros quadrados – e serviços ficarão fechados.

Somente no entorno da avenida do Centro da cidade, 28 novos casos de Covid-19 foram registrados. O fluxo de pessoas subiu de 27% para 35% do movimento normal  até o começo do isolamento social, na segunda metade de março. O volume de veículos passou de 50% para 74% dos dias normais. A Avenida Sete foi incluída na resitrção.

Na Boca do Rio, segundo a apresentação do prefeito, são 35 novos infectados e aumento de oito pontos percentuais em número de pessoas na ruas e de 35 p.p. de veículos. Em Plataforma, onde a interdição será no Largo do Luso,  além do aumento de 7 p.p. em movimentação de pessoas e 14 p.p. de veículos, a região é no momento a de maior aumento de testes positivos para a Covid.

Polícia Militar, Transalvador e Guarda Municipal atuarão na fiscalização do cumprimento das medidas ACM Neto acrescentou durante a coletiva que a Guarda Municipal vai, a partir desta sexta-feira (8), vai atuar no ordenamento das filas nas agências da Caixa Econômica Federal, que vem agerando filas e aglomerações devido ao pagamento da ajuda emergencial de R$ 600.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.