Publicado em 26/11/2020 às 21h40.

Vacina de Oxford tem erro na dosagem e teste será refeito

Brasil já assinou um acordo para a compra de 100 milhões de doses do imunizante

Redação
Foto: Divulgação/ Universidade de Oxford
Foto: Divulgação/ Universidade de Oxford

 

A vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford apresentou um erro na dosagem, conforme anunciou o vice-presidente da farmacêutica, Menelas Pangalos. A conclusão dos estudos fez com que a eficácia de 90% da vacina divulgada pela empresa na última segunda-feira (23) caísse para 62% quando duas doses completas foram administradas.

Após a divulgação do erro, o CEO da AstraZeneca, Pascal Soriot, afirmou que o imunizante será submetido a um novo teste. A mudança não estava prevista no cronograma. Agora o novo estudo irá testar uma dosagem menor da vacina em voluntários para medir a eficácia. Apesar do novo teste, o executivo acredita, no entanto, que uma eventual aprovação da vacina por órgãos reguladores do Reino Unido e da União Europeia não será atrasada.

O Brasil, por meio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), já assinou um acordo para a compra de 100 milhões de doses do imunizante. Até o momento, este acordo foi o único feito pelo governo federal para a disponibilização das vacinas.