Publicado em 20/01/2022 às 11h25.

Flordelis tem recurso negado e vai a júri popular por morte do ex-marido

MP aponta que ex-deputada foi mandante do crime ocorrido em 2019

Redação
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Presa desde agosto do ano passado, a ex-deputada federal Flordelis (PSD-RJ) teve recurso negado pela Justiça e irá a júri popular, sob acusação de ser mandante do assassinato do ex-marido, o pastor Anderson do Carmo.

De acordo com informações do G1, o desembargador Marcus Basílio, segundo vice-presidente do Tribunal de Justiça do Rio, negou os recursos impetrados pelos advogados da ex-parlamentar e também da neta e da filha adotiva de Flordelis, Rayane dos Santos Oliveira e Marzy Teixeira da Silva.

“Seria necessário o reexame dos fatos e provas produzidos no processo, o que não é permitido às instâncias superiores, que atuam apreciando apenas questões de direito infraconstitucional e/ou constitucional”, justificou o magistrado em sua decisão, publicada no dia 15 de janeiro.

Anderson foi morto a tiros na porta de casa, em Niterói (RJ), em junho de 2019. Dois filhos da deputada já foram condenados no caso, Flávio dos Santos Rodrigues e Lucas Cézar dos Santos Souza. Segundo o site, para o Ministério Público do Rio, Flordelis tramou a morte do marido por disputas na família, além de dinheiro e influência.

Denunciada como mandante do crime, ela responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada. Polícia Civil e MP apontam indícios de que a ex-deputada envenenou a comida de Anderson do Carmo e ordenou a compra da arma que matou o ex-marido.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.