Publicado em 06/09/2019 às 08h33.

Ditador do Zimbábue por quase 4 décadas, Robert Mugabe morre aos 95 anos

Ele esteve no poder de 1980 até 2017, quando deixou o comando pressionado por militares

Redação
Imagem: Reprodução/CNN
Imagem: Reprodução/CNN

 

Robert Mugabe, ex-ditador do Zimbábue, morreu nesta sexta-feira (6), em Singapura, onde estava em tratamento médico, segundo o jornal Folha de São Paulo. Ele tinha 95 anos.

De acordo com a publicação, o atual presidente do país africano, Emmerson Mnangagwa, comunicou a morte, cuja não foi informada.

Mugabe comandou o Zimbábue de 1980 até novembro de 2017, quando saiu do posto sob ameaça de golpe das forças armadas.

Durante as quase quatro décadas no poder, foi denunciado no próprio país e no exterior como um autocrata obcecado pelo poder, disposto a desencadear esquadrões da morte, fraudar eleições e destruir a economia na incansável busca pelo controle.

Sua queda em 2017 provocou celebrações intensas no país de 13 milhões de habitantes. Para Mugabe, a deposição foi um ato de traição “inconstitucional e humilhante” por parte de seu partido e do povo, deixando-o um homem partido.

Confinado pelos anos remanescentes de sua vida entre Singapura, onde estava recebendo tratamento médico, e sua imensa mansão chamada de “Telhado Azul”, na capital Harare, um Mugabe enfermo só pode observar de longe a política do país.

Na véspera da eleição de julho de 2018, a primeira sem ele, Mugabe disse a repórteres que votaria na oposição, algo impensável apenas alguns meses antes.

Educado e urbano, Mugabe assumiu o poder em 1980 após sete anos de uma guerra de libertação e – até a tomada do exército – era o único líder que o Zimbábue, anteriormente Rodésia, conhecia desde a independência da Grã-Bretanha.

PUBLICIDADE