Publicado em 25/01/2019 às 18h23.

Conselho de Ética irá arquivar caso dos R$ 51 milhões de irmão de Geddel

Processo ficou praticamente parado durante 2018, ano de eleições, e irá para a gaveta com o fim da legislatura

Redação
Foto: Juliana Almirante/ bahia.ba
Foto: Juliana Almirante/ bahia.ba

 

O processo no Conselho de Ética da Câmara Federal para cassação do mandato do deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, será arquivado com o fim da legislatura. A informação foi divulgada pela coluna Radar, da Veja.

O bahia.ba não conseguiu contato com o presidente do colegiado, Elmar Nascimento (DEM-BA) na noite desta sexta-feira (25).

A apuração no Conselho é sobre os R$ 51 milhões encontrados em malas, pela Polícia Federal (PF), em um apartamento em Salvador.

O caso ficou praticamente parado durante 2018, ano de eleições. Entre as 25 testemunhas, apenas duas foram ouvidas.

Lúcio não conseguiu se reeleger deputado, depois de alcançar o posto de deputado mais faltoso entre os que se despedem da Câmara neste ano. Em conversa com o bahia.ba, o parlamentar comparou as denúncias contra ele com as que afetam o presidente Jair Bolsonaro.

Apesar de não responder mais ao processo no Conselho de Ética, Lúcio ainda é réu, junto com a mãe e o irmão, no processo que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar o caso do bunker.