Publicado em 25/03/2019 às 16h55.

Candomblecistas prometem acionar MP-BA contra Marcelle Moraes

Vilma Reis, ouvidora-geral da Defensoria Pública, esteve com o grupo de manifestantes e disse que Marcelle cometeu um ato "muito grave"

Breno Cunha
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba
Foto: Izis Moacyr/ bahia.ba

 

Presente na Câmara Municipal de Salvador em protesto contra a vereadora Marcelle Moraes, por conta do episódio envolvendo o minuto de silêncio a Makota Valdina, lideranças do Candomblé prometeram ir ao Ministério Público Federal para obter uma retratação da edil.

Vilma Reis, ouvidora-geral da Defensoria Pública, esteve com o grupo de manifestantes e disse que Marcelle cometeu um ato “muito grave”.

“Estamos chocados. A partida de Makota Valdina, uma mulher que dedicou 75 anos da vida dela contra o racismo religioso. Makota formou gerações neste país”, disse ao bahia.ba.

Ela ainda acusou a vereadora de estar agindo por vingança. “Porque há seis anos Makota derrotou essa família aqui nesse plenário porque eles queriam criminalizar o ato de alimentar o sagrado em Salvador. É exatamente em Salvador que essas pessoas fazem sua carreira política em cima do povo”, falou.

Lindinauva de Paula, uma das mulheres que estiveram no protesto, criticou a carta lida pela vereadora nesta segunda (25) e prometeu acionar o Ministério Público Federal (MPF-BA).

“Se ela quer se comparar aos animais, problema dela. Ela é criminosa e racista. Nós, sociedade civil, vamos tomar uma providência”, concluiu.

PUBLICIDADE