Publicado em 19/07/2016 às 15h30.

Ministro da Cultura mostra preocupação com CPI da Lei Rouanet

Em reunião comRodrigo Maia, presidente da Câmara Federal, Marcelo Calero disse externar inquietações com a possibilidade de criminalização do setor cultura

Agência Estado
Em reunião com Rodrigo Maia, presidente da Câmara de Deputados, Marcelo Carelo, ministro da Cultura, externa preocupação com CPI da Lei Rouanet (Foto: Flávio Soares/Câmara Federal)
Em reunião com Rodrigo Maia, presidente da Câmara de Deputados, Marcelo Carelo, ministro da Cultura, externa preocupação com CPI da Lei Rouanet (Foto: Flávio Soares/Câmara Federal)

 

O ministro da Cultura, Marcelo Calero, esteve reunido na manhã desta terça-feira, 19, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para manifestar preocupação com a instalação da CPI da Lei Rouanet. Ao deixar o gabinete de Maia, Calero disse que pretendia “externar inquietações” sobre a possibilidade de criminalização do setor cultural. “A inquietação é para que não haja criminalização em geral”, disse Calero.

A CPI da Lei Rouanet foi autorizada a funcionar e já está em fase de indicação de seus componentes. Ela ocupa a vaga que seria da CPI da UNE, enterrada pelo antecessor de Maia, deputado Waldir Maranhão (PP-MA). Os trabalhos começarão em agosto, com a escolha do presidente da comissão e do relator.

“Há de fato malfeitos que precisam ser punidos, mas não pode deixar de levar em conta uma lei responsável por 3.100 projetos”, argumentou o ministro. Rodrigo Maia deve receber ainda hoje o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, para visita de cortesia.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.