Publicado em 30/06/2021 às 19h40.

‘Processo de impedimento exige mais do que palavras’, diz Arthur Lira

Nesta tarde, um grupo de 46 signatários entregou o 'superpedido' de impeachment em que acusa o presidente Jair Bolsonaro de 7 crimes

Redação
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

 

“Processo de impedimento exige mais que palavras. Exige materialidade”. A declaração foi feita nesta quarta-feira (30) pelo presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), ao blogo do jornalista Gerson Camarotti, do G1. Durante a tarde, um grupo de 46 signatários entre partidos, parlamentares e entidades protocolou um ‘superpedido’ de impeachment em que acusa o presidente Jair Bolsonaro de 7 crimes.

Para o processo de impedimento ir adiante tem que ter sua admissibilidade aceita pelo presidente da Câmara. “Até onde acompanhei na imprensa, o documento que foi protocolado hoje é uma reunião de outros pedidos de impeachment com o agregado dos depoimentos da CPI. Se esta é a novidade, o ideal é esperar o avanço da CPI que acontece na outra Casa para ver se há algo de verdade e contundente além dos depoimentos. Vamos aguardar os acontecimentos”, declarou.

Segundo Arthur Lira, aliado do governo, um processo de impeachment exige “materialidade”. “Aqui seguimos a pauta do Brasil, das reformas e dos avanços. Respeito a manifestação democrática da minoria. Mas um processo de impedimento exige mais que palavras. Exige materialidade”, afirmou. Fonte: G1



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.