Publicado em 31/03/2021 às 09h59.

Governo da Bahia assinará contrato de R$ 3,3 milhões para garantir oxigênio na pandemia

Fornecimento ininterrupto continuará a ser feito pela White Martins

Alexandre Santos
Foto: Paula Fróes/GOVBA
Foto: Paula Fróes/GOVBA

 

O governo da Bahia vai prorrogar um contrato de prestação de serviços com a White Martins para garantir uma quantidade de oxigênio hospitalar suficiente diante da alta demanda provocada pela pandemia de Covid-19. O valor total será de R$ 3.303.841,32, com validade de 12 meses, a serem contados a partir do dia 4 de abril.

O contrato prevê o fornecimento ininterrupto de gases medicinais, incluindo a disponibilização de tanques criogênicos fixos, cilindros e locação de equipamentos para fornecimento de ar comprimido medicinal com manutenção preventiva e corretiva do sistema.

A renovação ocorre no momento no pior momento da pandemia, no qual diversas cidades pelo país enfrentam escassez de oxigênio e pacientes morrerem asfixiados devido à escassez do insumo. O cenário dramático coloca março como mês em que mais estados tiveram alta na média de mortes pelo coronavírus. Somente nesta terça-feira (30), foram registrados 3.688 novos óbitos decorrentes da doença, marca recorde.

No início do mês, o governador Rui Costa (PT) afirmou que os hospitais estaduais não correm o risco de sofrer um “apagão” por falta de oxigênio. Ele admitiu, no entanto, haver risco de desabastecimento nas cidades do interior, onde a utilização do produto explodiu em meio à escalada da crise sanitária. Além disso, os gestores relatam dificuldades para abastecer os cilindros.

Diante do gargalo, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou ter flexibilizado procedimentos e regras para que as empresas consigam ampliar a produção e o envase do gás em até 200%.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.